Discípulo do bruxo Chik Jeitoso, o advogado Juliano Breda, presidente da OAB-PR, previu em antológico discurso no mês passado, durante evento pela criação dos TRFs, que o ministro Joaquim Barbosa passaria a alvo da mídia depois do mensalão; nesta terça, confirmando a 1!ª previsão de Breda (ouça o áudio), o Estadão desceu a borracha no presidente do STF.

Discípulo do bruxo Chik Jeitoso, o advogado Juliano Breda, presidente da OAB-PR, previu em antológico discurso no mês passado, durante evento pela criação dos TRFs, que o ministro Joaquim Barbosa passaria a alvo da mídia depois do mensalão; nesta terça, confirmando a 1!ª previsão de Breda (ouça o áudio), o Estadão desceu a borracha no presidente do STF.

Em tom profético, no último dia 20 de maio, em Curitiba, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Paraná, Juliano Breda, vaticinou: “a grande mídia no país vem poupando Joaquim Barbosa, pois terminado o julgamento do mensalão será absolutamente destruído pela imprensa brasileira”.

Breda falava sobre a oposição do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) acerca da criação de quatro novos tribunais regionais federais no Paraná, Bahia, Minas Gerais e no Amazonas.

O ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado!, discursou à  época Breda para um auditório lotado de lideranças políticas e empresariais (clique aqui para relembrar).

Pois bem, não é que a profecia de Breda se confirmou nesta terça-feira (11)? A primeira pancada veio estampada na capa do Estadão impresso e na versão online: “Barbosa manobra para estourar limite fiscal e triplicar gasto do CNJ com pessoal”.

Segundo o jornalão, sócio majoritário do Partido da Imprensa Golpista (PiG), Barbosa quer aumentar os gastos com pessoal ao arrepio da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) — um dos ícones do neoliberalismo, criado em 2000, no governo FHC, para que o Estado conseguisse obter superávit primário para honrar compromissos com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Ouça aqui a previsão de Juliano Breda:

Compartilhe!

    Família Silvestri se prepara para desembarcar da canoa de Richa -- leia-se PPS, futuro MD -- e embarcar na fragata de Gleisi Hoffmann, via PSD.

    Família Silvestri se prepara para desembarcar da canoa de Richa — leia-se PPS, futuro MD — e embarcar na fragata de Gleisi Hoffmann, via PSD.

    à‰ questão de pouco tempo. O secretário de Governo do Paraná, Cezar Silvestri, hoje no PPS, somente aguarda a formalização da fusão entre seu partido e o PMN — e a consequente criação do Movimento Democrático (MD) — para se agasalhar em outra agremiação.

    O secretário e seu rebento, César Silvestri Filho, prefeito do município de Guarapuava, também do PPS, já estão em avançado entendimento com o PSD de Gilberto Kassab.

    O PSD nacional é Dilma Rousseff desde criança, depois que conseguiu emplacar Guilherme Afif Domingos no ministério da Pequena Empresa.

    O PSD do Paraná, de Eduardo Sciarra, antevendo o tombo do governador Beto Richa (PSDB) nas eleições de 2014, abriu forte interlocução com o PT de Gleisi Hoffmann — candidata ao Palácio Iguaçu.

    O PPS só não virou MD ainda porque calcula que a fila de saída é maior do que a de entrada de políticos com mandato. Ao se fundir, o partido abre uma janela para entrada, mas também escancara a porteira para a saída. Eis o dilema da agremiação de Roberto Freire.

    Resumo da ópera: A família Silvestri pode deixar Rubens Bueno e Rubico Camargo, a dupla dirigente do PPS (futuro MD), falando sozinhos; e o tucano Beto Richa pode ficar ferido na estrada. à‰ a política como ela é… sem Photoshop.

    Compartilhe!

      Governador Beto Richa, ao jogar a torcida contra os ex-governadores Jaime Lerner, Mário Pereira, Roberto Requião e Orlando Pessuti, se isolou da política real; antecessores conseguem reaver aposentadoria na Justiça, mas não perdoam o tucano pela perseguição moral que sofreram.

      Governador Beto Richa, ao jogar a torcida contra os ex-governadores Jaime Lerner, Mário Pereira, Roberto Requião e Orlando Pessuti, se isolou da política real; antecessores conseguem reaver aposentadoria na Justiça, mas não perdoam o tucano pela perseguição moral que sofreram.

      Um a um, todos os ex-governadores do Paraná — Jaime Lerner, Mário Pereira, Roberto Requião, Orlando Pessuti — recuperaram suas aposentadorias canceladas pelo governador Beto Richa (PSDB) em 2011.

      O tucano assessorado pelo então procurador-geral do Estado, Ivan Bonilha, parecia ter certeza que estava fazendo a coisa certa — tanto no campo jurídico quanto no campo político. Com esmero, Bonilha só preservou a aposentadoria da mãe do ex-chefe, dona Arlete, viúva do ex-governador José Richa, e do ex-coordenador financeiro da campanha do PSDB em 2010, ex-governador João Elísio Ferraz de Campos.

      Ao jogar essa questão para torcida, Richa ganhou uns pontinhos no Ibope — o que eu chamaria de gordurinha — mas se isolou politicamente. Sabia-se desde então que essa matéria era controversa até mesmo no Supremo Tribunal Federal (STF) e que esses benefícios eram passíveis de serem recuperados até o julgamento final do mérito.

      Em 1!º de abril de 2011, por exemplo, eu alertava que “a história está recheada de exemplos de ex-presidentes e ex-governadores como exímios conspiradores políticos”. Dito e feito.

      O governador Beto Richa perdeu aquela “gordurinha” adquirida com o rompante udenista; se arrasta para terminar o mandato; tem uma base de sustentação volátil na Assembleia, sujeita abandoná-lo a qualquer momento.

      Os ex-governadores Mário Pereira (1994), Jaime Lerner (1995-2002), Roberto Requião (1991-1994 e 2003-2010) e Orlando Pessuti (2010) não perdoam o tucano pela perseguição.

      Compartilhe!
        Charge de Paixão - Gazeta do Povo (PR).

        Charge de Paixão – Gazeta do Povo (PR).

        Compartilhe!

          jlJornais do Paraná

          Gazeta do Povo: Falta de carreira e estrutura afastam médicos do interior

          Jornal do Estado: Beto Richa pede atuação integrada de secretários

          Jornal Metro: Licenciamento vencido lidera infrações nas blitze

          Jornal de Londrina: Preço da tarifa cai R$ 0,10 e abre crise com empresas

          Folha de Londrina: Tarifa de ônibus cai amanhã para R$ 2,35

          O Diário (Maringá): Trabalho infantil em 14 cidades da região supera média nacional

          Diário dos Campos: Família de criança esfaqueada alega negligência médica

          Jornal da Manhã: ‘CPI das Obras Públicas’ vai convocar mulher de vereador

          Tribuna do Interior: Fiscalização termina com interdição de bombas em Campo Mourão

          O Paraná: Plano Safra não satisfaz as demandas do setor agrícola

          Gazeta do Paraná: Novos TRFs vão custar quase R$ 1 bi ao Judiciário

          Jornal Hoje: Cascavel tem seis casos suspeitos de gripe A

          Gazeta do Iguaçu: Pedra fundamental do Centro Cívico é lançada durante comemorações dos 99 anos de Foz

          Diário do Noroeste: Motoristas do transporte coletivo podem parar em Paranavaí

          Tribuna de Cianorte: Richa reúne equipe de governo e faz balanço positivo da gestão

          Umuarama Ilustrado: Atropelamentos de pedestres aumentam 17% em Umuarama

          Tribuna do Norte: Juiz entrega arma após atirar durante operação no Vale

          Jornais de outros estados

          Globo: Fim da privacidade: EUA caçam americano que revelou espionagem

          Folha: Desfecho do mensalão pode levar até 2 anos, diz ministro

          Estadão: Barbosa quer triplicar teto de gasto do CNJ com servidor

          Correio: Alimentos voltam a subir. Dólar dispara e atropela BC

          Valor: Empresa brasileira já deixa Argentina em segundo plano

          Estado de Minas: Delegado indiciado

          Zero Hora: 120 carros novos da BM parados por falhas nos freios

          Compartilhe!

            O prefeito de Matinhos, Eduardo Antonio Dalmora (PDT), entrou em contato com o blog para contestar denúncia de professores sobre o não cumprimento da Lei Nacional do Piso — que estipula salário de R$ 1.567,00 para trabalho de 40 horas semanais. Nesta quarta-feira, os educadores realizam protesto no município do Litoral paranaense.

            Para Dalmora, os professores estão “chorando de barriga cheia” porque ele jura que paga acima do Piso Nacional.

            O prefeito diz que fez um Plano de Cargos e Salários para os 392 professores, que tiveram reajuste de R$ 505,00 para R$ 783,50 por 20 horas trabalhadas.

            Dalmora afirma que o salário base para 40 horas gira entre R$ 1.133,50 e R$ 1.609,19. O máximo, segundo o prefeito, é de R$ 2.077,00 por 40 horas trabalhadas.

            Os professores de Matinhos dizem que a prefeitura está inflando os valores com gratificações, bônus, vale alimentação, etc., para ultrapassar o salário base.

            Confira a tabela da prefeitura de Matinhos:

            Fonte: Prefeitura de Matinhos (PR).

            Fonte: Prefeitura de Matinhos (PR).

            Compartilhe!

              Jornalista Breno Altman disseca livro de repórter da revista Veja; aponta erros factuais, contradições e pressa; falta de checagem entre afirmações e fontes leva texto a envolver ex-ministro José Dirceu em situações das quais não há registro nenhum de sua participação; presença de Thaís Oyama, chefe do autor Otavio Cabral na revista, tanto na copidescagem do livro como no texto da capa de Veja que o anuncia mostra que "promiscuidade é irrelevante" para os padrões éticos da publicação semanal; "à‰ um desrespeito ao leitor e ao código de defesa do consumidor", diz resenhador; artigo exclusivo:

              Jornalista Breno Altman disseca livro de repórter da revista Veja; aponta erros factuais, contradições e pressa; falta de checagem entre afirmações e fontes leva texto a envolver ex-ministro José Dirceu em situações das quais não há registro nenhum de sua participação; presença de Thaís Oyama, chefe do autor Otavio Cabral na revista, tanto na copidescagem do livro como no texto da capa de Veja que o anuncia mostra que “promiscuidade é irrelevante” para os padrões éticos da publicação semanal; “à‰ um desrespeito ao leitor e ao código de defesa do consumidor”, diz resenhador; artigo exclusivo:

              Livro não passa de uma fraude, da primeira à  última linha

              por Breno Altman*

              O título é um petardo que coraria escritores mais tarimbados e talentosos. O jornalista Otávio Cabral, da equipe de “Veja”, não deixou por menos: “Dirceu, a biografia”. Um recorde incrível foi batido pelo autor, que deixaria humilhados biógrafos de maior fama: levou apenas seis meses para pesquisar e escrever “a” obra definitiva sobre personagem crucial da história política brasileira, cuja vida pública percorre quase cinquenta anos. (mais…)

              Compartilhe!

                Líder do governo Ademar Traiano (PSDB) diz que Zeca Dirceu, do PT, faz demagogia barata ao criticar Beto Richa: "O Zeca Dirceu é um tucaninho disfarçado de petista".

                Líder do governo Ademar Traiano (PSDB) diz que Zeca Dirceu, do PT, faz demagogia barata ao criticar Beto Richa: “O Zeca Dirceu é um tucaninho disfarçado de petista”.

                O deputado Ademar Traiano (PSDB), líder do governo Richa na Assembleia Legislativa do Paraná, não gostou nem um pouco do artigo de opinião do deputado federal Zeca Dirceu (PT). O petista acusou nesta segunda-feira (10) o governo tucano de “medíocre e mentiroso”.

                O líder do governo tucano foi ao fundo do baú e sacou uma foto em que, segundo ele, o deputado do PT estaria “puxando o saco” de Richa.

                “O Zeca Dirceu é um tucaninho disfarçado de petista. Eu falo e provo o que estou dizendo. Basta ver a foto, em que esse rapaz sempre fica como papagaio de pirata do governador Beto Richa”, fuzilou Traiano.

                “Se o governo é tão ruim assim, por que Zeca Dirceu quer aparecer na foto ao lado de Richa?”, questiona.

                Compartilhe!

                  Prefeito Dalmora (PDT).

                  Prefeito Dalmora (PDT).

                  Os professores da rede municipal de Matinhos, Litoral do Paraná, vão cruzar os braços nesta quarta-feira (12), a partir das 8h30, em protesto contra o não cumprimento da Lei Nacional do Piso do Magistério, que estipula salário de R$ 1.567,00 para trabalho de 40 horas semanais.

                  O prefeito da cidade, Eduardo Antonio Dalmora (PDT), empresário bem sucedido, finge que não é com ele essa discussão ao propor reajuste à  categoria de R$ 505,00 para R$ 559,64. Uma vergonha. Um escândalo.

                  A gestão do empresário Dalmora quer enrolar os educadores oferecendo-lhes gratificações no lugar do salário base, as quais não podem ser contabilizadas no cálculo da aposentadoria.

                  Se o município não tem condições de cumprir a Lei do Piso tem que abrir o jogo com o Ministério da Educação (MEC). Prefeito que não cumpre suas obrigações não merece continuar no cargo. Impeachment, nele!

                  A manifestação dos professores e professoras será na Praça Hildebrando de Araújo.

                  Compartilhe!

                    “Em casa onde falta o pão, todos brigam, ninguém tem razão”, diz um ditado popular.

                    Nesta segunda-feira (10), o governador Beto Richa (PSDB) realizou uma reunião de emergência com o secretariado. A luz amarela acendeu. A popularidade do tucano despencou. O choque de gestão prometido eletrocutou o próprio governo, que permanece paralisado. Falta pão aos oficiais da centenária Polícia Militar, falta dinheiro para o simples envio de carta via Correios. A crise veio e ficou. Será o triste fim do governo tucano?

                    Quanto à  escolinha, a de Richa foi fechada à  imprensa; a de Requião era aberta ao público e transmitida ao vivo “da Patagônia ao Canadá” pela TV Educativa.

                    A reportagem do vídeo é da RPCTV.

                    Compartilhe!

                      Zeca Dirceu defende o governo federal, chama governo de Richa de mentiroso, incompetente, desonesto intelectualmente, preguiçoso, medíocre, etc.; leia o artigo do parlamentar petista.

                      Zeca Dirceu defende o governo federal, chama governo de Richa de mentiroso, incompetente, desonesto intelectualmente, preguiçoso, medíocre, etc.; leia o artigo do parlamentar petista.

                      O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), filho do ex-ministro José Dirceu, em artigo de opinião, só não classificou o governo de Beto Richa (PSDB) de “santo”. Em parágrafos ácidos, o petista disse que o tucano faz uma gestão incompetente, medíocre, mentirosa, clientelista e oportunista — que plagia programas do governo federal e dá crédito a si mesmo diante do trabalho alheia. Ele cita os casos dos tablets distribuídos aos professores e as unidades habitacionais Minha Casa, Minha Vida. Leia a íntegra do que escreveu o parlamentar:

                      As verdades de uma gestão estadual de mentira

                      por Zeca Dirceu*

                      Recebi com grande decepção, na última semana, a declaração de um representante do governo do estado, apontando que o problema para o crescimento econômico do Paraná é o Brasil. Querer omitir-se da responsabilidade de uma gestão ineficiente, julgando como culpado o governo federal, é praticamente uma insanidade.

                      Aliás, mais contraditória ainda é a informação, quando retomamos os fatos de que, constantemente, o governo do estado tem trocado nomes de programas federais e divulgado como suas, ações do governo sério do PT, para suprir a falta de trabalho, ato inclusive já tradicional na prática tucana.

                      Foi assim com o programa Minha Casa Minha Vida!, com a tentativa de tomar para si o mérito do maior programa habitacional que este país já viu e, mais recentemente, com a divulgação da distribuição de “tablets” aos professores dos colégios estaduais, um programa federal de investimento para a modernização da educação. (mais…)

                      Compartilhe!

                        O grupo do senador Roberto Requião decidiu que vai pedir a expulsão do deputado federal Osmar Serraglio, presidente do PMDB, por infidelidade partidária; Segundo Maurício Requião, também pularam a cerca o ex-governador Pessuti e deputados; para o filho do senador, que foi destituído pela executiva estadual da sigla, o feitiço virou contra o feiticeiro!.

                        O grupo do senador Roberto Requião decidiu que vai pedir a expulsão do deputado federal Osmar Serraglio, presidente do PMDB, por infidelidade partidária; Segundo Maurício Requião, também pularam a cerca o ex-governador Pessuti e deputados; para o filho do senador, que foi destituído pela executiva estadual da sigla, o feitiço virou contra o feiticeiro!.

                        O grupo do senador Roberto Requião já definiu a estratégia que utilizará para reaver o mando do PMDB em Curitiba, cujo diretório foi dissolvido junto com outros 80 no interior do Paraná pela executiva estadual do partido no último dia 3.

                        “Vamos fazer cumprir o estatuto do PMDB, que exige fidelidade partidária de seus membros dirigentes”, adiantou Maurício Requião, filho do senador.

                        Segundo Requião, ao evocar o estatuto, automaticamente, todos os interventores nomeados pela executiva estadual serão expulsos por “infidelidade partidária”.

                        “Vamos anexar fotos e vídeos de Reinold Stephanes Junior fazendo campanha para o ex-prefeito Luciano Ducci, do PSB; de Osmar Serraglio (presidente estadual) subindo em palanque contra o ex-presidente do partido Waldyr Pugliesi; Doático Santos também ao lado de Ducci; e o ex-governador Orlando Pessuti, atual secretário-geral da sigla, fazendo campanha para seu filho, Bruno, eleito vereador de Curitiba pelo PSC”, disse Maurício Requião.

                        Nas eleições de 2012, o PMDB apresentou a candidatura de Rafael Greca à  prefeitura de Curitiba. Entretanto, deputados e algumas lideranças da legenda preferiram apoiar o ex-prefeito Ducci ou Ratinho Junior (PSC). Teve houve infidelidade no interior do estado, embora em menor intensidade.

                        Compartilhe!

                          Vereador Chicarelli vai pedir ao presidente da Câmara, Paulo Salamuni (PV), a suspensão da compra dos 38 notebooks devido a suspeita de superfaturamento.

                          Vereador Chicarelli vai pedir ao presidente da Câmara, Paulo Salamuni (PV), a suspensão da compra dos 38 notebooks devido a suspeita de superfaturamento.

                          O vereador José Carlos Chicarelli (PSDC) lançou, nesta segunda-feira (10), suspeita sobre o processo de licitação para a compra de 38 novos notebooks, da marca Lenovo E430, que serão distribuídos a cada um de seus colegas na Câmara Municipal de Curitiba.

                          Segundo o parlamentar, cada um vai custar aos cofres municipais R$3.263,00, num total de R$ 123.994,00. Porém, denuncia ele, numa rápida pesquisa no Google, o mesmo notebook Lenovo E430 pode ser encontrado aos montes por menos de R$ 2 mil reais a unidade e até ser parcelado em 10 vezes sem juros.

                          Chicarelli disse que vai hoje pedir informações do por que da licitação ter colocado o preço limite de quase R$ 4 mil para um produto que não é muito difícil encontrar pela metade do valor na internet.

                          “Tenho a certeza que muitas vezes a falta de fornecedores, que tenham interesse em participar de uma concorrência pública, acaba por elevar os preços de produtos e serviços, porém isto não pode fazer com que aceitemos esses descasos com o dinheiro público”, se indigna o vereador do PSDC.

                          Compartilhe!

                            No governo Richa, tropa da PM vai à s ruas enfrentar bandidos de barriga vazia; algumas companhias fazem vaquinha para comprar pão e manteiga; até os animais passam fome devido à  crise no governo tucano, diz um deputado situacionista.

                            No governo Richa, tropa da PM vai à s ruas enfrentar bandidos de barriga vazia; algumas companhias fazem vaquinha para comprar pão e manteiga; até os animais passam fome devido à  crise no governo tucano, diz um deputado situacionista.

                            Deputado estadual da bancada de apoio a Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa, disse, nesta segunda-feira (10), que a crise vivida pelo governo do estado é muito pior que se imagina.

                            Segundo o parlamentar, em algumas companhias, policiais militares estão fazendo “vaquinha” para comprar pão e manteiga para o café da manhã.

                            Em governos anteriores, a tropa sempre saiu à s ruas com o estômago guarnecido pela primeira refeição. Enfrentava a bandidagem de barriga cheia. Agora…

                            Ainda de acordo com o deputado governista, também falta comida para os cavalos da corporação.

                            “Se não entrar o dinheiro do Caixa Único (CU) — os R$ 7 bilhões dos depósitos judiciais sob a guarda do Tribunal de Justiça — já era [o governo tucano]”, previu o deputado.

                            Compartilhe!

                              O neopetista Milton Alves, ex-dirigente do PCdoB por 18 anos, comemora a ascensão de Gomyde ao topo do partido e cogita voltar à  legenda comunista.

                              O neopetista Milton Alves, ex-dirigente do PCdoB por 18 anos, comemora a ascensão de Gomyde ao topo do partido e cogita voltar à  legenda comunista.

                              De tanto rir e comemorar, o neopetista Milton Alves teve convulsão neste final de semana. Baixou no pronto socorro até. Ele se sentiu vingado com as mudanças na direção estadual do PCdoB, partido que dirigiu por mais de 18 anos, agora sob a intervenção do esportista Ricardo Gomyde.

                              Alves foi defenestrado da presidência há dois anos, desde então a legenda vermelha não conseguiu firmar-se no estado. Teve dois presidentes — Chico Brasileiro e Nilton Bobato — e, segundo a junta interventora, errou feio ao apoiar Ratinho Junior (PSC) na disputa pela prefeitura de Curitiba.

                              Milton Alves acredita que a intervenção nacional do PCdoB significa, na prática, uma “autocrítica” da mesma reconhecendo que cometeu equívocos ao apostar numa fórmula que tinha tudo para dar errado. “E deu [errado]”, suspira aliviado o neopetista, que não descarta voltar à  trincheira comunista.

                              Compartilhe!
                                Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.