olavo-de-carvalho

Expurgo: Intervenção militar provoca mais duas demissões de ‘olavetes’ no MEC

Compartilhe agora


A guerra por ocupação de espaços no MEC continua provocando baixas. Nesta quinta-feira (4), foi publicado no Diário Oficial da União a exoneração do assessor especial de Vélez, Bruno Garschagen, um dos integrantes do ministério mais próximos do ministro e muito ligado ao jornalista e autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho. Também foi demitida Josie de Jesus, que ocupava a chefia de gabinete do ministro Ricardo Vélez.

A demissão de Bruno Garschagen foi assinada por Onyx Lorenzoni, chefe da Casa Civil. No Diario Oficial da União (DOU) também foi publicada a demissão da chefe de gabinete do MEC, que era ocupada por Josie de Jesus, ex-funcionária do Centro Paula Souza, em São Paulo, e muita ligada ao ministro Vélez.

O novo secretário executivo do ministério, tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira, segundo cargo na hierarquia e uma espécie de interventor na pasta, opera o expurgo dos chamados olavistas, seguidores de Olavo de Carvalho, o que vem ampliando o controle do militares no MEC.