Após intermediação de parlamentares, Ivis Gandra aceita negociar pleitos da greve dos petroleiros

Compartilhe agora

Petroleiros da FUP e da CUT participaram na tarde desta terça-feira, 18, de reunião com o ministro do TST, Ivis Gandra, relator do dissídio coletivo relativo à greve da categoria. A reunião foi intermediada por uma expressiva bancada de deputados e senadores do campo progressista, que também estiveram presente ao encontro.

Desde a semana passada, uma brigada petroleira vem realizando reuniões em Brasília com parlamentares e representantes da Justiça do Trabalho, na busca da abertura de um canal de negociação para resolver o conflito da greve da categoria.

LEIA TAMBÉM:
Deputadas reagem a Bolsonaro: “Brasil deu uma fraquejada e tem um presidente machista no Planalto”

Justiça da Bahia determina nova perícia no corpo de miliciano Adriano da Nóbrega

Bancada do PT se reagrupa em torno do projeto Lula

No encontro desta terça com o ministro do TST, foi reforçada a importância da abertura de um canal de negociação para solução do impasse criado pela Petrobrás, que resultou na greve dos petroleiros, que já atravessa a terceira semana. Após a reunião com Ivis Gandra, a FUP protocolou uma petição nos autos do processo, formalizando o pedido de abertura de negociação para tratar de todo os fatos que envolvem o conflito da greve, inclusive as demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen).

No documento, a FUP cita a decisão desta terça-feira, 18, da desembargadora Rosalie Michaele Bacila, do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, que suspendeu até o dia 06 de março as demissões na fábrica (veja a íntegra abaixo).

Em resposta à petição, o ministro Ivis Gandra publicou no final da noite a convocação de reunião de mediação com a FUP na próxima sexta-feira, 21, “para discussão das matérias que envolvem a presente greve, condicionando sua realização à imediata cessação do movimento paredista”, conforme cita no despacho.

O teor do documento emitido pelo ministro do TST será analisado e debatido pelas direções sindicais nesta quarta-feira, 19, durante reunião do Conselho Deliberativo da FUP, no Rio de Janeiro.

As informações são da FUP.