Fake news: TSE põe a raposa para cuidar do galinheiro

Compartilhe agora

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) inovou ao formalizar que a raposa irá entrar no galinheiro para cuidar das penosas.

É sabido por todos os brasileiros que possuem cérebro maior que uma azeitona que as fake news, as mais cabeludas, são disseminadas pela mídia corporativa.

O Blog do Esmael tem anotado aqui que os jornalões deixaram de fazer jornalismo há muito tempo. A notícia trabalha a serviço do mercado e não cumpre função social alguma.

O negócio principal dos barões da mídia agora é especulação financeira, as maquininhas de pagamentos eletrônicos, etc. Vide os casos das Organizações Globo com a “Ton” e a Folha com a “Amarelinha”, também abordados por esta página independente.

Pois bem, o TSE oficializou a “Coalizão para Checagem – Eleições 2020” com as “fact-checking” –as agências de checagem, em português.

O cinismo não tem limites, caro leitor, pois essas “fact-checking” pertencem aos próprios donos dos jornalões que espalham fake news.

Participam do projeto, segundo o TSE:

  • AFP
  • Agência Lupa
  • Aos Fatos
  • Boatos.org
  • Comprova
  • E-Farsas
  • Estadão Verifica
  • Fato ou Fake
  • UOL Confere

Durante a semana, o Blog do Esmael mostrou que as fact-checking, por questões óbvias, não checam as fake news de seus patrocinadores. Nós mostramos o caso do Globo, que foi desmentido pelo Ministério Público sobre as denúncias das “rachadinhas” na Alerj.

O jornal dos Marinho pressionava para que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) fosse denunciado à Justiça, mas o MP-RJ não o fez de deixou O Globo com a brocha na mão. No entanto, as agências de checagem contratadas pelo TSE ficaram silentes sobre o vergonhoso episódio.

O Blog do Esmael já debateu bastante com advogados e profissionais dos ramos da comunicação e pesquisas de opinião o assunto fake news. Acreditar que existe “verdade absoluta” é a mesma coisa que fantasiar a existência de “juiz imparcial” ou “jornalista imparcial”, dentre outras pérolas criadas pelo cartesianismo.

Em 2018, o TSE já fez parceria com as agências de checagem de fatos (fact-cheking) e veja no que deu: o Brasil elegeu um Presidente Fake News!

Para que as agências que nada checam venham dizer que estamos fazendo “boatos” ou “fofocas”, o próprio TSE está em processo de julgamento das fake news na campanha do presidente Jair Bolsonaro. O tribunal está prestes caçar a chapa Bolsonaro-Mourão, eleita em 2018 sob o signo das diabólicas notícias falsas.

As maiores fake news, caro leitor, são produzidas e disseminadas pela mídia corporativa. E mais: elas só ganham impulso nas redes sociais com a providencial ajuda das aplicações de internet (Facebook, Twitter, Instagram, Google, WhatsApp, Telegram, dentre outras).

Leia mais sobre as fact-checking

Bolsonarista “Aos Fatos” entra em desespero com discurso de Lula

Querida, onde estão os 67 milhões de desempregados?

Lula cobra investigação de notícias falsas da mídia por agências fact checking

Estadão, caiu na rede, virou chacota

Globo denuncia fake news do Globo