Adriano da Nóbrega, suspeito de assassinar Marielle, é morto em tiroteio na Bahia

Compartilhe agora


Adriano da Nóbrega, suspeito de assassinar a vereadora e ativista Marielle Franco (PSOL-RJ), morreu em tiroteio com a Polícia Civil do Rio de Janeiro no interior do estado da Bahia, no município de Esplanada, na manhã deste domingo (9).

Adriano era o chefe da milícia do Escritório do Crime e tinha fortes ligações com o clã Bolsonaro, em particular com o atual senador Flávio Bolsonaro.

O ex-policial carioca estava escondido na cidade e passou a ser monitorado por equipes Superintendência de Inteligência (SI).

Adriano da Nóbrega foi localizado em um imóvel, na zona rural da cidade. Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, ele teria resistido à prisão, atirando contra os policiais. Ferido, o acusado chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Com o foragido foi encontrada uma pistola austríaca calibre 9mm.

LEIA TAMBÉM:

Milicianos homenageados na Alerj aproximam Flávio Bolsonaro da morte de Marielle

‘Democracia em Vertigem’ concorre ao Oscar 2020 neste domingo

Lula: “Bolsonaro faz um governo da destruição”

“Procuramos sempre apoiar as polícias dos outros estados e, desta vez, priorizamos o caso por ser de relevância nacional. Buscamos efetuar a prisão, mas o procurado preferiu reagir atirando”, disse o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Teles Barbosa.

*Com informações do Bahia Notícias